terça-feira, 23 de setembro de 2008

Estrada de Ferro - Minas _ Bahia




Estados de Minas Gerais e Bahia



HISTÓRICO DA LINHA: LINHA DE MANHUAÇU: A E. F. Bahia a Minas começou a ser aberta em 1881, ligando finalmente Caravelas, no litoral baiano, à serra de Aimorés, na divisa com Minas Gerais, um ano depois. Somente em 1898 a ferrovia chegaria a Teófilo Otoni, e em 1918, a Ladainha. Em 1930 atingiu Schnoor. Em 1941, chegou a Alfredo Graça, e, em 1942, chegou em Arassuaí, seu ponto final definitivo. A ferrovia originalmente pertencia à Provincia da Bahia; em 1897 passou a ser propriedade do Estado de Minas Gerais, para, em 1912, passar a ser administrada pelos franceses da Chemins de Fer Federaux de L'Est Brésilien (por algum tempo). Em 1965, foi encampada pela V. F. Centro-Oeste e finalmente extinta em 1966. Embora tenha havido planos para a união da ferrovia com a Vitória-Minas, tal nunca ocorreu e ela permaneceu isolada.
Leia mais em

http://www.estacoesferroviarias.com.br/baiminas/bahia-minas.htm



Projeto: Música sobre trilhos.
O resgate da memória ferroviária na cultura das diferentes regiões do Brasil, por meio da música popular brasileira.Veja o vídeo:

Caminhos de Ferro - Ferrovia Bahia-Minas


video

5 comentários:

Anônimo disse...

meu nome é william tenho 31 anos e nascir em teofilo otoni. a historia da estrada de ferro bahia-minas ela jamais vai ser esquecida, pois min lembro quando minha vó ana era viva. agente sentava na frente de casa ela min contava as historia da estrada de ferro. sendo q agente morrava no bairro gangorrinha mais conhecido como bairro palmeiras.a minha vó chama ana viuva e o seu marido marcolino ele era funcionario da estrada de ferro.hoje so nus restas lembraças como as pontes,tuneis,a maria fumasa q ser encontra na praça tiradente em teofilo otoni.hoje morro em aracruz(es)sempre q vou para minha cidade natal vou detrem ate governador valadares.

Saulo César disse...

Por isso, mesmo Amigo, é muito importante preservarmos nosso patrimônio ferroviário. Se vc tiver fotos ou relatos que queira publicar, envie-me por e-mail esse material com todas as informações que elas serão publicadas.
Abraço

Saulo

Garota do vale disse...

gostei da materia , mas fikou algo a desejar como por exemplo as estaçao ferroviaria de queixada e os funcionarois dali que por essa ferrovia passaram, como por exemplo sr. josé bispo,josé fraga , hugo sr jose coelho,etc etc etc...se alguem tiver documentario completo favor me enviar , precisamos resgatar nossa história .

Anônimo disse...

É lamentável ver um patrimônio assim deteorizado. A Estrada de Ferro Bahia e Minas(EFBM/VFCO). Fui nascido e criado às margens das paralelas de aço, com bitola de 1m(um metro). Meu pai chamava-se Jeronimo Alves Cajazeira,sua função era Feitor de Turma Fíxa, nível 7, ele trabalhou na Turma 56, Arassuaí, MG, transferiu-se para a Turma 5, km 45, no mun. de Caravelas, Bahia; mais tarde transferiu-se para a Turma 4, km 29, em 1956 transferiu-se novamente para a Turma 5, onde seus filhos estavam em fase de alfabetização, quando se matricularam na Escola Estadual Rui Barbosa, em Juerana. Mais tarde, transferi-se para a Turma 6,entre Juerana e Km 60,(Peruípe). Por último, e, 1962, transferiu-se para a Turma 8, em Helvécia, onde aposentou-se. Ví o término da Mãe Bahiminas, onde seus trilhos foram arrcados com a maior rapidez, foi lamentável, foi dástrico e cruel. Um trabalho que começou com histórias assistidas por engenheiros, técnicos, e profissionas que arriscaram as vidas. De repente, ver tudo destruídos. Sou Bernardo Alves Cajazeira, filho de ferroviário, que andou entre as paralelas de aço, percorrendo cerca de 14 km(ida e volta), para ir à aula, percorrendo pontes e pontilhões; pisando em brasas encandescentes expelidos pelas marias fumaças, tropessando em dormentes, passando por boiadas, locomotivas: Maria Fumaça, e a Diesel; trens cargueiros e passageiros; boiadas, pés de jacas, engazeiras, mangabeiras, coqueirais. Tempos bons não volta mais...

And's disse...

Para as filhas não casadas e que nao empregaram no serviço publico ou deficiente (qualquer situação) existe a possibilidade de receber pensão desde que o titular seje funcionario estatutario e que tenha facelido anterior a publicação da lei 8112/90. Entre em contato no meu numero: (33) 9131-0714 Anderson Teofilo Otoni.